Você sabe qual o melhor custo benefício em relação à montagem de peças industriais (manual x montagens automáticas)?

Muito se diz que a montagem de peças industriais feita manualmente é sempre pior que as montagens automatizadas. No entanto, será que é o caso? Para sabermos isso, é necessário identificar os pontos benéficos e prejudiciais das montagens manuais e automáticas. Neste artigo comentaremos um pouco sobre cada um dos tipos de montagens e explicaremos cada um dos benefícios e prejuízos presentes nessas montagens.

Montagem manual de peças industriais

Existem alguns processos que demandam a ação humana e são extremamente complexos para que uma máquina possa fazer, mesmo na tecnologia atual. Alguns trabalhos sob medida precisam ser feitos por mãos humanas, pois uma máquina automatizada não faria tão bem quanto um ser humano. A criação de peças pequenas sob medida é um desses casos, onde a montagem manual é muito mais interessante, eficiente e melhor do que a montagem automática.

Neste caso, a montagem manual se sai muito melhor. Temos então, um ponto bom quando falamos de montagens manuais e peças sob medida, por exemplo.

No entanto, as montagens manuais ainda podem ser ineficazes por vários motivos. Quando a linha de produção é constante e não demanda precisão, uma montagem automática faria um trabalho muito mais eficaz do que a mão-de-obra humana. Neste caso temos um ponto prejudicial das montagens manuais: elas não se aplicam em linhas de produção que demandam demais ou que não necessitam de precisão.

Outro ponto bom a se destacar nas montagens de peças manuais é que elas poupam a mão-de-obra humana em atividades que poderiam ser automatizadas. Ao invés de concentrar o uso de mão-de-obra em atividades de grande extensão, o trabalho manual focado em atividades menores diminui riscos de saúde do funcionário.

Montagem automática de peças

A montagem automática é sempre citada como mais benéfica, e ela de fato traz inúmeros benefícios. Quando se fala em montagem automática, sempre pensamos em máquinas especiais que realizam trabalhos muito extensos e pesados para a mão-de-obra humana. Isso é, de fato, o que estamos considerando como montagem automática de peças industriais aqui.

O principal benefício da montagem automática ou automação industrial de peças é a precisão nas linhas de produção extensas. Caso os funcionários fossem colocados para trabalhar em determinadas linhas de produção, provavelmente seus desempenhos diminuiriam rapidamente. No entanto, ao contrário de uma máquina que nas mesmas condições, manteria seu desempenho ao longo de dias, semanas ou até mesmo meses. Os esforços repetitivos desgastam muito menos uma máquina especial robusta do que um ser humano. Portanto, funções que requerem esforços repetitivos ou pesados demais merecem ser realizadas justamente por máquinas automatizadas.

Outro benefício da montagem automática é a eficácia na produção em massa. Enquanto que a mão-de-obra humana não produziria tanto quanto uma máquina especial. Ela produziria até três vezes mais que um funcionário em um determinado período. A diferença de quantidade de produção entre uma máquina e um ser humano é enorme. Com certeza, em trabalhos que requerem criação em massa com certeza fazem a montagem automática levar pontos positivos.

Infelizmente, as montagens automáticas nem sempre são a melhor forma de lidar com a produção, principalmente se forem usadas em funções que, na verdade, seriam desempenhadas normalmente por um humano. É preciso analisar a realidade da empresa, suas reais necessidades e comparar ambos os modelos.

Uma das objeções relacionadas às máquinas especiais de montagens automáticas é a percepção inicial de alto custo. Porém, nos dias de hoje, essa barreira já está sendo quebrada rapidamente. Os projetos cada vez eficazes e profissionais capacitados para realizar o desenvolvimento e as manutenções dessas máquinas, fazem com que o retorno do investimento seja alcançado rapidamente. Isso torna a automação industrial algo extremamente vantajoso para as indústrias que desejam mais produtividade e competitividade no mercado.

No Brasil, a escassez de profissionais que trabalham com a manutenção de máquinas industriais está diminuindo, o que torna fácil manter uma máquina dessas funcionando durante muito tempo. No fim, vale mais investir em uma máquina especial.

Qual é melhor modelo de produção, montagens automáticas ou manuais?

Se você encontrava uma resposta exata para essa pergunta, decepcionaremos você: o tipo de montagem depende da função ao qual ela será aplicada. Se uma função demanda demais de um funcionário e traz uma repetição intensiva de algum movimento, o correto e mais benéfico é, sem dúvidas, investir em uma montagem automática.

No entanto, quando falamos de funções mais especializadas, milimétricas e sob medida, talvez um funcionário desempenharia um trabalho melhor do que uma máquina automatizada. No geral, tudo depende do tipo de função que a máquina realizaria. O critério para se definir é observar se vale mesmo a pena substituir uma mão-de-obra humana por uma máquina automatizada. Será que a função que a máquina faz compensa o gasto dela ao realizar essa mesma função? Se a resposta for sim, então a montagem automática é a mais certa e benéfica a se considerar. Caso a resposta seja não, então é preciso pensar bem antes de aplicar a montagem automática.

Aqui no blog temos outros posts relacionados a este assunto que podem ajudá-lo a definir qual o melhor modelo para a sua empresa. E caso você já tenha decidido por automatizar a sua linha de produção, mas não sabe por onde começar, fale com a nossa equipe. Podemos ajudá-lo desde a concepção do projeto até a colocação em funcionamento.

Se você gostou do post e tem alguma dúvida, deixe o seu comentário!

Por Marco Aurélio, diretor de operações da Elco Indústria.

Share This